sexta-feira, 26 de novembro de 2010

canción de ira y esperanza

De qualquer forma, despisto minhas filosofias e insisto na ambivalência desse caráter humano cuja volubilidade colore o pacato ritmo cotidiano, assimilando com deformidade a real velocidade do tempo e gracejando com o passado que o repentino dissimulou. Persistem algumas dúvidas, de qualquer forma, e agarro-me às justificativas para não lembrar que, antes de tudo, sou eu quem sente o que minha razão trabalha para assimilar.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Quando as luzes do céu começaram a clarear, deitei-me no gramado.
Ali, sem eira nem beira, livre do mundo, assisti ao sol nascer.